14 May 2013

Um pão capaz de mudar a vida? parte I

Há uns tempos que esta receita da Sarah Britton do My New Roots tem dado que falar. Cá em casa, mal a vi tinha que experimentar. Pelo-me por pães assim, duros e azedos, cheios de sementes, o mais integrais possível. Cozinhar pão assim tinha que ser um sonho!

A Sarah chama-lhe o pão-que-muda-a-vida. Isto porque: 
1. vai deixar de sujar taças e mais taças de ingredientes ou da batedeira. Aqui a única coisa que suja é a forma, que pode forrar com papel vegetal, ou seja, quase não suja; 
2. não precisa de amassar n-a-d-a, como ela diz "you rule the bread, not the other way around"; 
3. os ingredientes que pede, à excepção do psilio, são todos alteráveis: não tem óleo de côco, xarope de agave nem sementes de chia? Mais uma vez, you rule the bread, substitua por azeite, mel e outras sementes quaisquer. E outros frutos secos quaisquer! Vi mesmo versões deste pão quem nem psilio usavam e funcionou com outros substitutos!
4. não usa fermento de qualquer espécie, o que poupa o trabalho de o fazer ou de o ir comprar de propósito (se bem que fui de propósito comprar psilio maaaas..!);
5. praticamente não tem glúten, o idiota responsável por nos fazer sentir "inchadas" assim como uma data de outras coisas pouco boas para o nosso corpo como as gorduras vegetais, as farinhas que nem sabemos de onde vêm...
Enfim, um mar de vantagens como podem ver!
Demorei semanas até entrar numa ervanária que tivesse psilio - o agente aglutinador desta receita, uma vez que não é usado qualquer tipo de farinha. Mal aterrou nas minhas mãos, o excitamento começou:
 A receita original podem vê-la aqui, eu fiz algumas alterações por não ter determinadas coisas em casa (e por o excitamento estar num nível ridículo que não fui capaz de esperar e ir à lojinha mais perto):

. 135g de pevides de abóbora
. 90g de sementes de linhaça
. 145g de flocos de aveia
. 65g de amêndoas
. 2 colheres de sopa de sementes de papoila
. 3     "                "   de psilio em pó(comprei numa ervanária perto da estefânia)
. 1     "                "   de flôr de sal
. 1     "                "   de mel
. 3     "                "   de óleo de côco
. 350ml de água

- Forrei uma forma tradicional de bolo inglês e atirei lá para dentro os secos, que misturei com a colher de pau.
- Numa taça mexi a água com o mel e o óleo de coco e depois verti para a forma, enquanto misturava tudo com a colher. Ao princípio parecia uma mistura desagregada, mas à medida que mexia mais, tornava-se uma mistura mais espessa porque o psilio vai absorvendo a água a olhos vistos.
- Alisei esta mistura com a parte de trás da colher e... JÁ ESTÁ!!!

Agora está a descansar, comigo ansiosamente à espera, para ir para o forno amanhã de manhã. A Sarah diz que deve descansar no mínimo duas horas mas, outra vez, you rule the bread, por isso ele pode descansar durante a noite, de um dia para o outro ou o tempo que der jeito, desde que quando se aperte de um dos lados da forma, a "massa" volte à sua forma original.
 Tantos cereais juntos, tantas vantagens acumuladas podem estar a deixar dúvidas nas cabeças de alguns.... Confesso que a mim não me suscitou qualquer tipo de desconfiança, mas há bocado enquanto pesquisava outras versões deste pão, fotografias, etc, encontrei o site de uma nutricionista que, de uma forma inteligente, nos mostra os prós, os contras e a sua opinião acerca desta polémica receita. Assim as pessoas podem decidir ou não fazê-la, mas mais informadas. Aqui vai o link!

Amanhã logo mostro o meu resultado... Curiosos?
Outra portuguesa que também já experimentou foi a Ondina do Coentros e Rabanetes, vão lá cuscar!!!

<3 jo

8 comments:

  1. Vais adorar o pão tenho a certeza! Este fim de semana vou voltar a fazer e vou testar outras combinações de sementes, frutos secos e gordura. Não o posso fazer todas as semanas por ele simplesmente desaparece num abrir e fechar de olhos: é que até o Vel, que é o fão n.º 1 do pão branco (embora caseiro) caiu de amores por este pão tão diferente. Ah, e como diz a Sarah: faz as melhores torradas de todo o sempre, mesmo!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Espero que sim!! Não imaginas o excitex!!!

      Delete
  2. Lindo, amei! Já tinha visto o da Sarah e adorei tb.. vá mete mas é o resultado final que estou pra aqui cheia de fome :)

    ReplyDelete
    Replies
    1. hehe vai agora para o forno! hihi

      Delete
  3. Só conheci hoje o blog e adorei!!

    Curiosa com o resultado do pão :)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada Ritz!!!
      Daqui a bocadinho já aqui ponho o resultado... Vai agora cozer!

      Delete
  4. Boa tarde!

    Adorei esta sugestão, já copiei os ingredientes e já sei onde ir comprar o psilio em pó... só n sei onde comprar o óleo de côco. Onde comprou?

    Obrigada :)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olá Sophy!
      Comprei o óleo de côco no jumbo das amoreiras, também encontra de certeza nas mercearias do Martim Moniz, em lisboa. O El Corte Ingles também terá. De qualquer das maneiras pode sempre usar outra gordura, desde um óleo vegetal com pouco sabor como o de colza ou grainha de uva, amendoim ou mesmo girassol, até o azeite dá! A Ondina do blog Coentros e Rabanetes fez com Azeite, veja por lá :)

      Delete

adorava saber o que achou!